Introspecção na Calçada de Tijolos Brancos

Aqueles dois estavam conversando enquanto caminhavam para algum lugar, dentro de silêncio que se mostrava um tanto quanto incômodo antes de quebrado.

“E ai, como segue sua vida?”, perguntou um deles.

O outro ergueu a cabeça e olhou para o seu companheiro de caminhada:

“Acho que a vida está me dando os mesmos problemas que já tive como prova a ser cumprida. Ela parece querer saber se, de fato, eu amadureci, ou se cometerei os mesmos erros de antes. Tomando as mesmas atitudes ou não tomando atitude alguma.”

O primeiro caminhante, aquele que fez a pergunta, se assustou, esperava uma resposta automática como um “a vida vai indo” ou um simples “tudo bem”, mas não. Ele recebeu um desabafo, palavras tristes, ou talvez apenas perdidas.

“Bom, mas você sabe, às vezes a vida lhe da limões para que você possa fazer uma limo…”

“Não!”, interrompeu bruscamente o companheiro, “A vida me deu ‘nada’ e é com isso que com que eu tenho que lidar.”

Colocando a cabeça inclinada de lado e já se arrependendo de ter feito a maldita pergunta, o outro disse não ter entendido bem o que estava querendo ser dito ali:

“Como? O que você está querendo dizer com isso tudo?”

Este recebeu a sua resposta depois de uma pequena risada.

” É simples , a vida em geral, parece ser um composto de calçadas formadas por tijolos brancos, a calçada de cada um parece Continuar lendo

Anúncios